Transtorno do Espectro Autista segundo o DSM V - 
 
O Transtorno do Espectro Autista ou TEA é uma disfunção global do desenvolvimento, com gradações nas áreas: da comunicação, interação social e comportamento, interesses e atividades restritas e repetitivas, e mais recentemente no DMS-V ou Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais V, que está na sua 5ª edição e foi elaborado em 2013 pela Associação Americana de Psiquiatria, foi acrescentado as alterações sensoriais. Pode ser classificado conforme o grau de dependência e/ou necessidade de suporte.
 
     • Nível 1: requer suporte: Déficits de comunicação social causa prejuízos perceptíveis sem suporte existente. Rituais e comportamentos repetitivos interferem significativamente em um ou mais contextos. Problemas com organização e planejamento dificultam a independência.
     • Nível 2: requer suporte substancial: déficits visíveis na comunicação verbal e não verbal. Prejuízos sociais evidentes mesmo com suporte existente. Rituais e comportamentos repetitivos são óbvios e interferem com o funcionamento em alguns contextos.
     • Nível 3: requer suporte muito substancial: déficits severos na comunicação verbal e não verbal. Rituais e comportamentos repetitivos visivelmente interferem com o funcionamento em todos os contextos.

Terapia Ocupacional

A Terapia Ocupacional é uma profissão da área da saúde que promove prevenção, tratamento e reabilitação. Atende Indivíduos portadores de alterações cognitivas, afetivas, perceptivas e psicomotoras, decorrentes ou não de distúrbios genéticos ou traumáticos. O Terapeuta Ocupacional: adapta atividades e mobília, faz treino de Atividades de Vida Diária (AVD - tomar banho, comer, escovar dentes, etc) e Vida Prática (AVP – fazer compras, trabalho, etc) com o objetivo de que o indivíduo se torne o mais independente e autônomo possível e seja integrado no convívio social. Utiliza da atividade humana (o fazer, o brincar) como base de desenvolvimento de projetos terapêuticos específicos e através da Integração Sensorial de Ayres percebe as alterações sensoriais e reorganizá-las através da qual chamamos de dieta sensorial.

Integração Sensorial

A Dra Anna Jean Ayres, mestre em Terapia Ocupacional, PhD em psicologia, com treinamento avançado em neurociências e psicologia infantil, estudos de Pós Doutorado no Instituto de Pesquisa do Cérebro da UCLA, iniciou seus estudos de Integração Sensorial na década de 50. Esta abordagem conhecida como Ayres Sensory Integration®. Ayres Sensory Integration ® Registered Trademark Ayres Sensory Integration®, a qual inclui a teoria, avaliação, padrões de integração sensorial e disfunção da práxis e conceitos de intervenção, testes, princípios e técnicas articuladas pela Dra Ayres. Inventou a maioria dos equipamentos básicos de Integração Sensoriais que são utilizados até hoje.
A Integração Sensorial é um processo neurobiológico que promove a capacidade de processar, organizar, interpretar sensações e responder de maneira apropriada ao ambiente, ou seja, permite a pessoa experimentar nas ações e atividades do dia a dia (ambiente) de forma eficaz. Os aspectos espaciais e temporais de entradas de diferentes modalidades sensoriais são interpretados, associados e unificados, é o processamento de informações.
A práxis, capacidade de idealizar, planejar e executar as ações. O desenvolvimento da práxis é um dos objetivos da Integração Sensorial, que favorece a capacidade prática de realizar as atividades da vida diária como: alimentação, vestuário, higiene pessoal, brincar, atividades escolares, participação social entre outras, ou seja, junto com a percepção, são o produto final da Integração Sensorial. A habilidade prática inclui saber o que fazer e como fazê-lo.
Três sistemas sensoriais são centrais na Teoria de Integração Sensorial: tátil, vestibular e proprioceptivo. 
 
Sistema Tátil

O sistema tátil inclui nervos sob a superfície da pele que enviam informações ao cérebro. Essas informações incluem toque leve, dor, temperatura e pressão. Estes desempenham um papel importante na percepção do ambiente, bem como nas reações protetoras para a sobrevivência.

Sistema Vestibular

O sistema vestibular refere-se a estruturas dentro do ouvido interno (os canais semicirculares) que detectam movimentos e mudanças na posição da cabeça. Por exemplo, o sistema vestibular avisa quando sua cabeça está vertical ou inclinada (mesmo com os olhos fechados). 

Sistema Proprioceptivo

O sistema proprioceptivo refere-se aos componentes dos músculos, articulações e tendões que fornecem à pessoa uma percepção subconsciente da posição do corpo. Quando a propriocepção está funcionando de forma eficiente, a posição corporal de um indivíduo é ajustada automaticamente em diferentes situações; por exemplo, o sistema proprioceptivo é responsável por fornecer ao corpo os sinais necessários para que possamos sentar de forma correta em uma cadeira. Também permite manipular objetos usando movimentos motores finos, como escrever com um lápis, usar talhares ou abotoar uma camisa. 

Outra dimensão da propriocepção é a práxis ou planejamento motor, que é a capacidade de planejar e executar diferentes tarefas motoras. Para que esse sistema funcione adequadamente, ele deve se basear na obtenção de informações precisas dos sistemas sensoriais e, em seguida, organizar e interpretar essas informações de forma eficiente e eficaz.

As metas e objetivos da Integração Sensorial e da Terapia Ocupacional com os Indivíduos com TEA

As metas e objetivos variam e indivíduo para indivíduo, mas algumas metas gerais aqui citadas derivam objetivos específicos como:
- Fornecer ao indivíduo informações sensoriais que ajudem a organizar o sistema nervoso central;
- Auxiliar o indivíduo a inibir e / ou modular a informação sensorial e indivíduo a processar uma resposta mais organizada aos estímulos sensoriais.
- Atividades sejam trabalhadas a interação social, a comunicação e autonomia e independência nas Atividades de Vida Diária e Vida Prática.


Referências Bibliográficas: 

- Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais [recurso eletrônico] : DSM-5 / [American Psychiatric Association ; tradução: Maria Inês Corrêa Nascimento ... et al.] ; revisão técnica: Aristides Volpato Cordioli ... [et al.]. – 5. ed. – Dados eletrônicos. – Porto Alegre : Artmed, 2014.
- https://www.autism.org/sensory-integration/ 
- https://www.integracaosensorialbrasil.com.br/integracao-sensorial
- https://www.siglobalnetwork.org/ayres-sensory-integration
- http://cienciasecognicao.org/neuroemdebate/arquivos/1327

Cristiane Sugawara
Terapeuta Ocupacional – CREFITO 3/4614 – TO
Terapeuta Ocupacional formada pela USP desde 1996
Pós Graduada em Transtorno do Espectro Autista pela CBI of Miami
Pós Graduanda em Intervenção ABA para Autismo e Deficiência Intelectual