Análise do Comportamento Aplicada (ABA): a intervenção com comprovação científica

A Análise do comportamento Aplicada, conhecida no Brasil por ABA (sigla em inglês de Applied Behavior Analysis), é uma área científica de desenvolvimento em contexto americano com evidências empíricas de eficácia em casos de autismo.  

Especificamente, a ABA se refere a um conjunto de intervenções realizadas com o objetivo de promover habilidades sociais, comportamentos (socialmente e individualmente) vantajosos e à redução de comportamentos aberrantes (ex., autolesivos, agressão, seletividade alimentar entre outros). 

 É baseado no manejo terapêutico, estruturado e incidental, para a promoção de habilidades que capacitem o individuo com foco na funcionalidade. O ensino da comunicação (seja ela vocal ou não) consiste grande parte da intervenção. A ABA é largamente difundido ao redor do mundo, sendo inclusive recomendado como a intervenção ideal pela APA (American Psychological Association) em casos de autismo. 

No início da intervenção é realizado o levantamento de habilidade previamente existente no repertório do indivíduo. Existem protocolos específicos que devem ser utilizados com esse fim (VB-MAPP, por exemplo). Após a avaliação, com base nos resultados,  programas (habilidades a serem ensinas) são selecionados. O conjunto de programas compõe o Plano Individualizado de Intervenção de uma criança. 

Estudos presentes neste processo comprovaram cientificamente que a ABA deve ser realizado de forma intensiva e precoce. 
Em 1987, um estudo de autoria de Lovaas, acompanhou crianças com TEA ao longo de três anos  que a intervenção aba quando realizada de modo intensiva (40 h semanais) é mais eficaz em comparação a intervenções mistas ou de duração reduzida.

Os estudos revelaram adicionalmente que, além de intensiva, a terapia ABA deve ser realizada em todos os ambientes nos quais a criança habita (lar e escola, por exemplo). O treino parental deve ser incluído ao longo da terapia e os terapeutas ABA devem agregar serviços terapêuticos domiciliares (Home Care intervention) diariamente.